Outros Tempos, Outros Carnavais: Brincadeiras De Entrudo E De Carnaval No Brasil (Século XIX)

Patrícia Vargas Lopes Araujo

Resumo


Este artigo tem por objetivo refletir sobre as festas carnavalescas ocorridas no Brasil na segunda metade do século XIX, particularmente os festejos de entrudo e de carnaval, buscando compreendê-los em sua própria dinâmica. Procura-se ainda examinar como se elaboravam os discursos que apresentavam o carnaval como um festejo civilizado em contraposição ao entrudo, considerado um divertimento grosseiro, impróprio a uma sociedade que buscava se modernizar e se equiparar às modernas sociedades europeias.

Palavras-chave: festejos de entrudo; carnaval; Brasil.


Texto completo:

PDF PDF

Referências


A Folha Sabarense. Sabará, n.º 36, ano V, 16/02/1890, p. 1.

A Província de Minas. Ouro Preto, n.º 573, Ano IX, 07/03/1889, p.1.

Agulha. Ouro Preto, ano I, n.º 1, 23 jan. 1923.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. Festas para que te quero: por uma historiografia do festejar. Patrimônio e Memória. UNESP – FCLAs - CEDAP, v. 7, n.º 1, p. 134-150, jun. 2011.

ALENCAR, Edigar de. O Carnaval carioca através da música, p. 22 Apud VALENÇA, Raquel. Carnaval: para tudo se acabar na Quarta- feira. Rio de Janeiro:Delumá-Dumará,1996, p. 77.

ALFARO, Milita. Carnaval: Una historia social de Montevideo desde la perspectiva de la fiesta. 2ª parte: Carnaval y Modernización: impulso y freno del disciplinamento (1873-1904). Uruguay: Ediciones Trilce, 1994.

ARAUJO, Patrícia Vargas Lopes de Araujo. Os festejos de entrudo no século XIX. Textos Escolhidos de Cultura e Arte, v. 8, n. 2, nov. 2011. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/tecap/article/view/10331. Acesso em 21/05/2020.

ARAUJO, Patrícia Vargas Lopes de. Folganças Populares – Festejos de entrudo e de carnaval em Minas Gerais no século XIX. 2000. 210f. Dissertação de Mestrado. Departamento de História. Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas. Universidade Federal de Minas Gerais, 2000

ARAUJO, Patrícia Vargas Lopes de. Folganças Populares. Festejos de Entrudo e de Carnaval em Minas Gerais no século XX. São Paulo: Annablume, 2008.

ARAUJO, Rita de Cássia Barbosa de. Carnaval do Recife; a alegria guerreira. Estudos Avançados, São Paulo, v.11, n.º 29, 1997

BACZKO, Bronislaw. Imaginação Social. In: Enciclopédia Einaudi (Antropos-Homem). Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, vol. 5, 1994.

BAKTHIN, Mikhail. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento – o contexto de François Rabelais. São Paulo: HUCITEC, 1987.

BLUTEAU, Raphael. Vocabulario Portuguez e Latino. Lisboa: Officina de Pascoal da Sylva, 1712-1728.

CAIAFA FILHO, Carlos. Vida de menino antigo, histórias de minha infância. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1986.

CARDOSO, Maria Helena. Por onde andou meu coração. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; Pró-Memória/INL, 1984, p. 69.

CARDOSO, Maria Helena. Por onde andou meu coração. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; Pró-Memória/INL, 1984.

CARLI, Paola Nery de. Outros carnavais: Folia e conflito no carnaval de Santa Rita do Sapucaí- MG (1932-1980). Dissertação de Mestrado. 2019. 74f. Instituto de Ciências Humanas. Universidade Federal de Juiz de Fora, 2019

CHANTAL, Suzanne. La vie quotidienne au Portugal apres le tremblement de terre de Lisbonne de 1755. Paris: Hachette, 1962.

CHARTIER, Roger. A história cultural – Entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1990.

COLAÇO, Thaís Luzia. O Carnaval no Desterro (Século XIX). Dissertação de Mestrado. 1988. 320 f. Centro de Ciências Humanas. Universidade Federal de Santa Catarina, 1988

Correio Oficial de Minas. Ouro Preto, n.º 323, Ano IV, 25/02/1860, p. 4.

CUNHA, Maria Clementina Pereira. Carnaval e outras festas. Campinas: EDUNICAMP, CECULT, 2002; FERREIRA, Felipe. Inventando Carnavais: o surgimento do carnaval no século XIX e outras questões carnavalescas. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2005;

CUNHA, Maria Clementina Pereira. Veneza, África, Babel: leituras republicanas, tradições coloniais e imagens do carnaval carioca. In: Seminário Festas: Cultura e Sociabilidade na América Portuguesa. São Paulo: USP/ FFLCH, 06-11 de set. 1999.

CUNHA, Maria Clementina Pereira. Você me conhece? Significados do carnaval na belle époque carioca. Projeto História, São Paulo, n.º 13, p. 93-108, jun. 1996; CUNHA, Maria Clementina Pereira. Ecos da folia: uma história social do carnaval carioca entre 1880 e 1920. São Paulo: Companhia das Letras, 2001

DA MATTA, Roberto. Carnavais, Malandros e Heróis. Rio de Janeiro: Zahar Editor., 1979

DA MATTA, Roberto. Carnaval como rito de passagem. In: Ensaios de Antropologia Estrutural. Petrópolis: Vozes, 1973.

DEBRET, Jean Baptiste. Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil. Trad. e notas Sérgio Milliet. 2.ª edição, Tomo I [v. I e II]. São Paulo: Livraria Martins Editora, 1949.

Diário de Minas. Ouro Preto, n.º 395, Ano II, 1875.

DUTRA, Anésio Pereira. Ranchos: estilo e época. Contribuição ao estudo dos ranchos no carnaval carioca. Rio de Janeiro: Secretaria do Estado de Ciência e Cultura, ONEPAC/Coordenação Editorial, 1985.

EDMUNDO, Luiz. Recordações do Rio Antigo. Recordações do Rio Antigo. Rio de Janeiro: Editora Conquista, 1956.

FALCON, Francisco J.C. A história cultural. In: Rascunhos de História. Rio de Janeiro: PUC, n. 1, 1991.

Folhetim. Renascença, São João D’el Rei, n.º 7, ano I, 15/02/1890, p. 2-3.

Folhetim. Renascença. São João D’el Rei, n. 7, ano I, 15/02/1890, p. 2-3.

Folhetim. Renascença. São Paulo. São João D’el Rei, n.º 7, ano I, 15/02/1890, p. 2-3.

FONSECA, Daniel Estevão da. A cidade e a festa: uma abordagem geográfica sobre o carnaval de Juiz de Fora – MG. 2019. Dissertação de Mestrado. Instituto de Ciências Humanas. Universidade Federal de Juiz de Fora, 2019

Gazetilha. A Província de Minas. Ouro Preto, n.º 514, ano VIII, 17/02/1888, p. 1 e n.º 573, ano IX, 07/03/1889, p.1.

Gazetilha. A Província de Minas. Ouro Preto, nº. 411, Ano VII, 24/02/1887, p. 1.

GEERTZ, Clifford. Uma descrição densa: por uma teoria interpretativa da cultura. In: A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

HOLLOWAY, Thomas H. Polícia no Rio de Janeiro – repressão e resistência numa cidade do século XIX. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1997.

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultural. São Paulo: Perspectiva, 1980.

LEONEL, Guilherme Guimarães. Festa e sociabilidade: reflexões teóricas e práticas para a pesquisa dos festejos como fenômenos urbanos contemporâneos. Cadernos de História, Belo Horizonte, v. 11, n. 15, p. 36, 2010.

MARTINS PENA. Folhetins. Rio de Janeiro: MEC/INL, 1965, p. 143.

MAWE, John. Viagens ao interior do Brasil. Belo Horizonte/São Paulo: Itatiaia/Edusp, 1978, p. 73.

MONTEIRO, André Jacques Martins. Caninha Verde em Vassouras: memórias, espaços e transformações em práticas festivas na primeira metade do século XX. Dissertação de Mestrado. 149 fls. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

MONTEIRO, Débora Paiva. O sonho de todo folião: Um ano com dois carnavais (Rio de Janeiro, 1912). Dissertação de Mestrado. 2012. 107f. Instituto de Ciências Humanas e Filosofia. Departamento de História. Universidade Federal Fluminense, 2012

MORAIS FILHO, Alexandre de Mello. Festas e Tradições Populares do Brasil. Belo Horizonte/ São Paulo: Itatiaia/Edusp, 1978.

MORAIS FILHO, Alexandre de Mello. Festas e Tradições Populares do Brasil. Belo Horizonte/ São Paulo: Itatiaia/Edusp, 1978.

MORAIS FILHO, Alexandre de Mello. Festas e Tradições Populares do Brasil. Belo Horizonte/ São Paulo: Itatiaia/Edusp, 1978, p. 94.

NEPOMUCENO, Eric Brasil. Carnavais atlânticos: cidadania e cultura negra no pós-abolição. Rio de Janeiro e Port-of-Spain, Trinidad (1838-1920). Tese de Doutorado. 2016. 328 f. Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia. Departamento de História, 2016.

NEPOMUCENO, Eric Brasil. Carnavais da Abolição – Diabos da Abolição – Diabos e Cucumbis no Rio de Janeiro (1879-1888). Dissertação de Mestrado. 2011, 244f. Universidade Federal Fluminense, 2011.

NEVES, Margarida de Souza. Brasil, acertai vossos pandeiros. Rio de Janeiro: MAST/CNPq, 1992.

Noticiario. Diario de Minas. Ouro Preto, n.º 204, ano I, 10 fev. 1874, p. 3.

Noticiario. Minas Geraes. Cidade de Minas, n.º 41, Ano VIII, 13-16/02/1899, p. 3.

Noticiário. Minas Geraes. Ouro Preto, n.º 57, ano VI, Domingo, 28/02/1897, p.5.

Noticiario. Minas Geraes. Ouro Preto, n.º 58, ano VI, 02 mar. 1897, p. 7.

Noticiario. Minas Geraes. Ouro Preto, nº. 52, ano VII, 23 e 24 fev. 1898, p. 4.

Noticiario. Minas Geraes. Ouro Preto, nº. 68, ano II, 1864, p. 4

Notícias Diversas. Minas Geraes. Ouro Preto, n.º 193, ano III, 11/02/1863, p. 2.

O Rio Branco. Rio Branco, n.º 231, Ano V, 12/02/1889.

O Rio Branco. Rio Branco, n.º 282, Ano VI, 04/03/1900.

O Viçoso. Mariana, 23/02/1896, n.º 12, Ano 3.

ORTIZ, Renato. A consciência fragmentada. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980.

PEREIRA FILHO, Hilário Figueiredo. Glórias, conquistas, perdas e disputas: as muitas máscaras dos carnavais de rua em Belo Horizonte (1899-1936). Dissertação de Mestrado. 2006. 225f. Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas. Universidade Federal de Minas Gerais, 2006

PEREIRA, Leonardo Affonso de Miranda. O carnaval das letras. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura, 1994

PINTO DE CARVALHO. Lisboa de outros tempos, v. 1, p. 161 apud EDMUNDO, Luiz. Recordações do Rio Antigo. Rio de Janeiro: Editora Conquista, 1956, p. 174.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. Carnaval brasileiro - o vivido e o mito. São Paulo: Brasiliense, 1992; QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. A ordem carnavalesca. Tempo social; Revista de sociologia. São Paulo, USP, v. 6, n. 1-2, p. 27-45, 1994.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. Carnaval brasileiro - o vivido e o mito. São Paulo: Brasiliense, 1992.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. Carnaval brasileiro: da origem ao símbolo nacional. Ciência e Cultura. São Paulo, v. 39, n. 8, p. 717-729, 1987.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. Da definição de Carnaval. Cadernos — Centro de Estudos Rurais e Urbanos, São Paulo, 1ª série, nº 11, set. 1978. QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. A evolução do carnaval latino-americano. Ciência e Cultura. São Paulo, v. 32, n. 11, p. 1477-1486,1980

RIBEIRO, Luiz César; CARDOSO, Adauto Lúcio. Planejamento urbano no Brasil: paradigmas e experiências. Espaço e Debates – Revista de Estudos Regionais e Urbanos. São Paulo, n.º 37, 1994, p. 77.

RIOUX, Jean-Pierre; SIRINELLI, Jean-François. Pour une histoire culturelle. Paris: Seuil, 1997.

SEBE, José Carlos. Carnaval, carnavais. São Paulo: Ática, 1986;

SILVA, Antonio de Morais. Diccionario da Lingua Portugueza. Recompilado dos vocabularios impressos até agora, e nesta segunda edição novamente emendado e muito acrescentado. Tomo Primeiro. Lisboa: Typographia Lacerdina, 1813, p. 348.

SILVA, Miranice Moreira da. Entre máscaras e serpentinas: Por uma história dos festejos carnavalescos feirenses (1891-1939). Dissertação de Mestrado. 2013. 134f. Departamento de Ciências Humanas e Filosofia. Universidade Federal de Feira de Santana, 2013.

SILVA, Zélia Lopes da. O carnaval dos anos 30 em São Paulo e no Rio de Janeiro (De festa de elite a “brincadeira popular”). História, São Paulo: Editora da Unesp, n.º 16, p. 173-184, 1998

SILVA, Zélia Lopes da. Os carnavais de rua e dos clubes na cidade de São Paulo: metamorfoses de uma festa (1923-1938). São Paulo: Editora da Unesp; Londrina: Eduel, 2008.

SILVA, Zélia Lopes da. Os espaços da festa: o carnaval popular de rua no Brasil dos anos 20. História & Educação, Londrina, v. 4, p. 153-172, 1998

SIMMEL, Georg. Questões fundamentais de sociologia. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

SOIHET, Rachel. A subversão pelo riso — Estudos sobre o carnaval carioca da Belle Époque ao tempo de Vargas, p.72.

SOIHET, Rachel. A subversão pelo riso: estudos sobre o carnaval carioca da Belle Époque ao tempo de Vargas. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 1998

TURNER, Victor. The ritual process: struture and anti-struture. Chicago: Aldine, 1969.

VIDAL, Janice Estarlino. Tempo de folia: um estudo do carnaval em Ponte Nova (MG) na primeira metade do século XX. Dissertação de Mestrado. 2019. 183f. Mestrado Profissional em Patrimônio Cultural, Paisagens e Cidadania. Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. Universidade Federal de Viçosa, 2019.

VIEIRA F. Raphael Rodrigues. Diversidade no carnaval de Salvador — as manifestações afro-brasileiras (1876-1930). Projeto História, n.º 14, São Paulo, fev. 1997 [resumo da dissertação de mestrado, A africanização do Carnaval de Salvador — a re-criação do espaço carnavalesco, São Paulo/PUC].

VIEIRA FAZENDA, José. Antiqualhas e Memórias do Rio de Janeiro apud Eneida de Morais. História do Carnaval carioca. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1958.

VON SIMSON, Olga Rodrigues de Morais. A Burguesia se diverte no Reinado de Momo — Sessenta anos de evolução do Carnaval na Cidade de São Paulo (1855-1915). 1984. Dissertação de Mestrado. Departamento de Sociologia. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo, 1984

VON SIMSON, Olga Rodrigues de Morais. A Burguesia se diverte no Reinado de Momo — Sessenta anos de evolução do Carnaval na Cidade de São Paulo (1855-1915). Dissertação de Mestrado, Departamento de Sociologia. São Paulo: USP/FFLCH, 1984, p. Dicionário do folclore brasileiro. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 1962, p. 810.

VON SIMSON, Olga Rodrigues de Morais. Brancos e Negros no Carnaval Popular Paulistano (1914-1988). 1990. Tese de Doutorado. Departamento de Sociologia. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo, 1990

VON SIMSON, Olga Rodrigues de Morais. Carnaval em Branco e Negro. Carnaval Popular Paulistano – 1914-1988. Campinas/SP: Editora da Unicamp/Editora da USP, 2007.

VON SIMSON, Olga. Rodrigues de Morais. Mulher e Carnaval: Mito e Realidade: Análise da atuação feminina nos folguedos de Momo desde o Entrudo até as Escolas de Samba. Revista de História, São Paulo, n. 125/126, p.7-32, ago-dez. 1991 a jan-jul. 1992

VOVELLE, Michel. Ideologias e mentalidades. São Paulo: Brasiliense, 1987.




DOI: http://dx.doi.org/10.22228/rt-f.v13i1.994

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista T&F está indexada nos seguintes serviços: Portal de Periódico da CAPES, EBSCO, BASE, Sumário de Revistas Brasileiras; Latindex, LivRe!, Google Acadêmico, Dialnet, DOAJ.

Periódico avaliado como B1 no WebQualis 2015 da CAPES na área de História; B2 nas áreas de Letras/Linguística, Ciências Sociais Aplicadas e Ciências Ambientais.

ISSN 1984-9036

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.