O processo de [re]ocupação DO ESPAÇO RURAL EM Apucarana, norte do Paraná, da colonização às vilas rurais

Maurílio Maurílio Rompatto

Resumo


Com o presente artigo temos por objetivo discutir a história da “[re]ocupação” do espaço rural em Apucarana, no Norte do Paraná, desde a colonização “moderna” iniciada em 1930 pela Companhia de Terras Norte do Paraná – CTNP à implantação das vilas rurais pelo governador do Paraná, Jaime Lerner, no período de 1995 a 2002. Entre as publicações sobre a história da região destaca-se o livro “Colonização e Desenvolvimento do Norte do Paraná” (1975) da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná - CMNP. Com este livro, a Companhia Melhoramentos, a antiga CTNP, divulgou alguns mitos acerca de sua colonização, dentre os quais o de que seu projeto imobiliário, ao priorizar o loteamento e venda das terras na forma da pequena propriedade, realizou uma espécie de “reforma agrária” na região. Porém, constatamos no decorrer deste artigo que o mito da “reforma agrária” não foi discurso apenas da CMNP, uma vez que na época em que foi governador do Paraná por dois mandatos (1995-1998/1998-2002), Jaime Lerner, adotou um discurso semelhante ao implantar o programa das vilas rurais em todo o Estado. Seu programa atendeu 273 dos 399 municípios do Paraná, sendo assentadas em torno de 80 mil pessoas ou 16 mil famílias, a maioria delas constituída de trabalhadores rurais denominados boias-frias. Em Apucarana, o programa implantou três vilas rurais: Nova Ukrânia, localizada no Contorno Sul (BR 376), Terra Prometida, no distrito de Caixa São Pedro (PR 444) e Manoel Piassa Sobrinho na Vila Operária Stabile (Vila Reis). A primeira, com 65 chácaras; a segunda com 38 e a terceira com 35, com tamanho médio de 5 mil m² cada. A Vila Rural Nova Ukrânia foi a primeira em todo o Estado a ser inaugurada pelo governo de Jaime Lerner em 26 de maio de 1995. As outras duas vilas rurais foram inauguradas pelo mesmo em 1998.


Texto completo:

PDF

Referências


COMPANHIA MELHORAMENTOS NORTE DO PARANÁ. Colonização e Desenvolvimento do Norte do Paraná. São Paulo: Editora Ave Maria. 1975.

CORRÊA JUNIOR, J. A. O Trem de Ferro. Maringá-PR. Editora 5 de Abril Ltda., 1991.

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ. Programa de Melhoria da Qualidade de Vida do Trabalhador Rural. Curitiba. 1995.

JOFFILY, José. Londres-Londrina. Rio de Janeiro. Paz e Terra. 1985.

LOPES, José Carlos Neves; BRAGA, Newton. Meu pai e a ferrovia: uma breve história fotográfica da Companhia Ferroviária São Paulo – Paraná (1924/1944). Cornélio Procópio. UENP. 2014.

MOTA, Lúcio Tadeu. História do Paraná: ocupação humana e relações interculturais. Maringá. EDUEM. 2005.

SERRA, Elpídio. A Colonização Empresarial e a Repartição da Terra Agrícola no Paraná Moderno. Boletim de Geografia. Universidade Estadual de Maringá. 1993.




DOI: http://dx.doi.org/10.22228/rt-f.v13i1.979

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista T&F está indexada nos seguintes serviços: Portal de Periódico da CAPES, EBSCO, BASE, Sumário de Revistas Brasileiras; Latindex, LivRe!, Google Acadêmico, Dialnet, DOAJ.

Periódico avaliado como B1 no WebQualis 2015 da CAPES na área de História; B2 nas áreas de Letras/Linguística, Ciências Sociais Aplicadas e Ciências Ambientais.

ISSN 1984-9036

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.