Ocupação territorial em uma fronteira indígena do sul da Bahia: Una e Olivença em meados do século XIX

Marcelo Henrique Dias, Girleane Santos Araújo

Resumo


Este trabalho analisa o processo de formação de propriedades rurais no movimento de ocupação de terras ocorrido em Una, sul da Bahia (Brasil), na primeira metade do século XIX. A principal fonte documental utilizada, o livro dos Registros Paroquiais de Terras da Freguesia de Olivença (1857-1860), da qual a Paróquia de Santo Antônio da Barra de Una era uma capela subsidiária, permitiu a identificação de perto de uma centena de moradores, assim como a análise dos regimes de posse e propriedade e das tipologias agrárias presentes naquele território. Esta zona de ocupação se expandiu para a proximidade das terras indígenas de Olivença, o que enseja nesse estudo a análise do problema da fronteira, a qual, ao tempo em que atua como um limite territorial, também configura uma área de contato interétnico. No caso em foco, essa dinâmica resultou em diferentes estratégias de apropriação de terras e recursos florestais.

Palavras-chave: fronteira agrícola; ocupação territorial; terras indígenas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22228/rt-f.v9i1.409

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista T&F está indexada nos seguintes serviços: Portal de Periódico da CAPES, EBSCO, BASE, Sumário de Revistas Brasileiras; Latindex, LivRe!, Google Acadêmico, Dialnet, DOAJ.

Periódico avaliado como B1 no WebQualis 2015 da CAPES na área de História; B2 nas áreas de Letras/Linguística, Ciências Sociais Aplicadas e Ciências Ambientais.

ISSN 1984-9036

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.