PERCEPÇÕES COLONIAIS DO SALAZARISMO AO MARCELISMO: GUERRA DE LIBERTAÇÃO EM ÁFRICA E A VAGA REVOLUCIONÁRIA NA METRÓPOLE

Pamela Peres Cabreira

Resumo


Este artigo tem por objetivo discutir de que forma as alternâncias no governo de Oliveira Salazar e, sobretudo, de Marcello Caetano trataram a questão colonial entre África e Portugal. Problematizaremos as relações entre metrópole e colônias partindo de discussão bibliográfica, e análise de fonte. A relutância em manter-se em um sistema colonialista e com a manutenção do sistema autoritário do Estado Novo, o país fomentou crises econômicas e sociais, guerras de guerrilhas em África e, finalmente, uma Revolução na metrópole.


Palavras-chave


Colonialismo; África; Guerra Colonial; Portugal.

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXANDRE, Manuel Valentin. A descolonização portuguesa em perspectiva comparada. Anais III Conferência Internacional África/Portugal, os Estados Unidos e a África Austral. 31-59, 2005.

AMARAL, D.F. O Antigo Regime e a revolução: memórias políticas. Lisboa: Círculo de Leitores, 1995.

ANDERSON, Perry. Portugal e o fim do Ultracolonialismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

CARVALHO, Luís Pedro Melo de. O movimento dos capitães, o MFA e o 25 de Abril: do Marcelismo à queda do Estado Novo. Dissertação apresentação para obtenção do Grau de Mestre em Ciência Política pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia. Lisboa, 2009.

CASTELO, Cláudia. Investigação científica e política colonial portuguesa: evolução e articulações, 1936-1974. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, 19(2), 2012.

MAXWELL, Kenneth. As colônias portuguesas e a sua descolonização. Revista Crítica de Ciências Sociais, 15/16/17, 1985.

MAXWELL, Kenneth. O império derrotado: Revolução e democracia em Portugal. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

MURTEIRA, Mário. Do estado obsoleto à nação democrática (Portugal na periferia europeia na segunda metade do século XX). Análise Social, v.XXII (91), 1986.

PEIXOTO, Carolina Barros Tavares. Limites do ultramar português, possibilidades para Angola: o debate político em torno do problema colonial (1951-1975). Niterói: UFF, dissertação defendida para obtenção do grau de Mestre. Universidade Federal Fluminense, 2009.

PINTO, João Alberto da Costa. Gilberto Freyre e a intelligentsia salazarista em defesa do Império Colonial Português (1951-1974). História, 28(1), 2009.

POULANTZAS, Nicos. A crise das ditaduras: Portugal, Grécia, Espanha. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

ROCHA, Edgar. Portugal, anos 60: crescimento econômico acelerado e papel das relações com as colônias. Análise Social, 13(51), 1977.

ROSAS, Fernando; OLIVEIRA, P.A. A Transição Falhada. Lisboa: Círculo de Leitores, 2004.

RUIVO, Francisco Felgueiras Bairrão. Spinolismo: Viragem Política e Movimentos Sociais. Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Universidade Nova de Lisboa. Tese defendida para a obtenção do grau de Doutor em História Contemporânea, 2013.

SANTOS, Pedro Manuel. Portugal e a NATO: Diplomacia em tempo de guerra (1961-1968). Lisboa: ISCTE, Dissertação defendida para obtenção do grau de Mestre, 2008.

SILVA, Kalina Vanderlei; SILVA, Maciel Henrique. Dicionário de Conceitos Históricos. Verbete “Liberalismo”. São Paulo: Editora Contexto, 2009.

SOUSA, Alfredo de. Os anos 60 da nossa economia, Análise Social, 30(4), 1995.

SPÍNOLA, António. Portugal e o Futuro. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1974.

TELO, António José. Portugal e a NATO (1949-1976). Primavera, nº89, 1999.

TORGAL, Luís Reis. Marcello Caetano antes do marcelismo. Espacio, Tiempo y Forma, Serie V, Historia Contemporánea, t.19, 2007.

VARELA, Raquel. “Um, dois, três MFA...”: o Movimento das Forças Armadas na Revolução dos Cravos – do prestígio à crise. Revista Brasileira de História, 32(63), 404-425, 2012.

Fontes

AVANTE! Clandestino. A perspectiva revolucionária. Ano 39, série VI, n. 415, abril de 1970. Arquivo Biblioteca Nacional de Portugal, fundo J 1316 A.

AVANTE! Clandestino. Não dar tréguas ao fascismo. Ano 44, série VI, n. 464, abril de 1974. Arquivo Biblioteca Nacional de Portugal, fundo J 1316 A.

AVANTE! Clandestino. Nova fase de luta. Ano 39, série VI, n. 411, janeiro de 1970. Arquivo Biblioteca Nacional de Portugal, fundo J 1316 A.

DIÁRIO do Governo, I série, número 117, 11 de junho de 1951.

FURTADO, Joaquim. A Guerra, documentário exibido pelo canal televisivo RTP, 2007.

INSTITUTO Nacional de Estatística. As edições do anuário estatístico de Portugal, 1875-2008. Lisboa, 2010. Arquivo Biblioteca Nacional de Portugal, fundo

PORTUGAL. Decreto-lei nº353, de 13 de julho de 1973 e decreto-lei nº409, de 20 de agosto de 1973.

PORTUGAL. Lei3/71 de 16 de Agosto de 1971, Diário do Governo nº 192/1971, 1º Suplemento, Série I de 1971-08-16, Art. 1º.

PORTUGAL. Lei3/71 de 16 de Agosto de 1971, Diário do Governo nº 192/1971, 1º Suplemento, Série I de 1971-08-16, Artigos 4º, 5º, 43°, 133°.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Outras Fronteiras

 

 ISSN: 2318-5503