POLÍTICOS, INTELECTUAIS E FUTEBOL: A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL DURANTE A ERA VARGAS

Kelen Katia Prates e Carlos Eduardo Souza de Carvalho

Resumo


As discussões sobre o nacionalismo brasileiro ganham força durante o governo de Getúlio Vargas com a iniciativa de formar o Brasil-nação, a construção da identidade nacional conta com a contribuição dos intelectuais e da impressa, além do Estado que se esforça na criação do Brasil autêntico, singular, longe dos padrões europeus. É durante os anos 1930 que o Estado volta suas atenções para a prática esportiva que havia ganhado as massas, o futebol, passa então, a ser visto como símbolo do nacionalismo brasileiro, elemento que reafirma nossa brasilidade.


Palavras-chave


Identidade nacional; Futebol; Era Vargas.

Texto completo:

PDF

Referências


Discussões sobre o conceito de identidade Eliane Maria de Oliveira Giacon ( UNESP- Assis- UEMS/NA) 1 Giane Maria Giacon( UNESP-Assis- SED/MS) Edição nº 12 ---- 2º semestre de 2011 Artigo recebido até 28/10/2011 Artigo aprovado até 11/11/2011

CALDAS, W. (1994). Aspectos sociopolíticos do futebol brasileiro. Revistausp, SP, n.22, p. 41-49. 1994.

CALDAS, Waldenyr. Pontapé inicial: Memória do futebol brasileiro. São Paulo: Ibrasa, 1990.

CURY, Cláudia Engler. C949p Políticas culturais no Brasil: subsídios para lembrar construções de brasilidade / Cláudia Engler Cury. – Campinas, SP: [s.n.], 2002.

Dicionário das ciências sociais, 2ª Edição. Editora: Fundação Getulio Vargas, 1987.

FREYRE, G. Ingleses no Brasil. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1948.

GIACON, E. M. (novembro de 2011). Discussões sobre o conceito de identidade. AVE PALAVRA , pp. 1-20.

GRAHAM, R. Grã-Bretanha e o início da modernização no Brasil: 1850-1914. São Paulo: Brasiliense, 1973.

HANNA, Fábio Tadeu Vighy, Caio Padro Jr. E Oliveira Vianna: Interpretações do Brasil e Projetos Politicos para a modernização brasileira. AKRÓPOLIS – Revista de ciências Humanas da UNIPAR.

HOBSBAWN, Eric J. Nações e nacionalismo desde 1780: programa, mito e realidade. 5ª ed. São Paulo: Paz e terra, 2008.

MADEIRA, Angélica, VELOSO, Mariza. Leituras brasileiras: itinerários no pensamento social e na Literatura. São Paulo: Paz e Terra, 1999

Traços a esmo. Publicada pela primeira vez em "o Índio”, em Palmeira dos Índios (AL), em 1921, com o pseudônimo de J. Calisto, escrita por Graciliano Ramos. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd10/palha1.htm. Acesso em: 28 de junho de 2015.

VELLOSO, Monica Pimenta. Os intelectuais e a política cultural do Estado Novo. In: Brasil Republicano 2. Civilização Brasileira. Rio de Janeiro: 2013 p. 145-180.

FRANZINI, Fábio. Corações na ponta da chuteira: capítulos iniciais da história do futebol brasileiro (1919-1938).Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

VARGAS, Getúlio D. Diários. Rio de Janeiro: FGV/Siciliano, 1995. V. 2

RIBEIRO, Luiz Carlos. Futebol: por uma história política da paixão nacional in: História: Questões & Debates, Curitiba, n.57, p. 15-43, jul/dez. 2012. Editora UFPR.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Outras Fronteiras

 

 ISSN: 2318-5503